sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Mostra Por Dentro da Cidade encerra primeiro ano da Plataforma com muita arte, cultura e energia positiva

A chuva que caia incessantemente desde o dia anterior, deu um tempo alguns minutos antes da primeira atração da Mostra Por Dentro da Cidade subir ao palco do Circo Voador, que já reunia cerca de 400 pessoas naquele 9 de dezembro. Vieram cerca de 50 comunidades de várias partes do Rio de Janeiro, do Quitungo à Vila Isabel, da Rocinha ao Morro dos Prazeres, passando por Vila São Bento e Complexo do Alemão.

O evento levou a um dos principais palcos da cidade, desde músicos iniciantes como o Felipe do Cavaco e seu grupo de pagode do Morro dos Macacos, que começaram a tocar juntos no dia anterior até a experiente e excepcional cantora de MPB Michele Castro, da Rocinha. O MC Leonardo do APAFunk, colocou todos para pensar e dançar com seu discurso potente e funks politizados. Ainda tiveram as apresentações da galera do rock pesado dos Filhos da Nação (Rocinha) e as graciosas batuqueiras do Fina Batucada.

A capoeira umas das maiores expressões da cultura afro-brasileira e a dança de rua dos meninos de Vila São Bento deram o tom da diversidade cultural do evento.

Temas voltados à promoção da saúde foram abordados pela apresentação de fantoches do grupo do CIEP Major Manoel Gomes Archer, que falou de forma bem humorada sobre a gripe A e o MC Wathatha sacudiu a galera com o Funk da Dengue. O grupo de teatro do RAP da Saúde falou sobre preservação do meio ambiente e o teatro do História que Eu Conto (Vila Aliança) abordou as questões das novas relações familiares e da busca pela identidade na adolescência. No espaço alternativo, o pessoal do grafite expressava sua arte em enormes lonas que iam adquirindoi cor, forma e conteúdo.

O oficial de projetos do UNICEF Jacques Schwarzstein que acompanhou o evento do inicio ao fim ficou impressionado. “Bom demais! Acho que não houve quem não tivesse gostado. Só vi sorrisos, risos e gargalhadas!”.

A mostra encerrou o primeiro ano de atividades da Plataforma dos Centros Urbanos cumprindo o objetivo de valorizar as manifestações culturais e artísticas das comunidades populares do Rio de Janeiro. As cerca de 500 pessoas que passaram pelo Circo Voador durante as 5 horas de evento puderam interagir, trocar experiências e vivenciar o que as comunidades têm de mais positivo: sua criatividade e força.

Um comentário:

  1. ROSINETE PAIVA DA SILVA29 de janeiro de 2010 15:12

    VENHO AQUI INFORMAR E POR GENTILEZA SOLICITAR A CORREÇÃO DO NOME DO CIEP QUE APRESENTOU O TEATRO DE FANTOCHES - GRIPE A - A SABER:
    CIEP MAJOR MANOEL GOMES ARCHER - JD PALMARES

    OBRIGADA

    ResponderExcluir